Geral

Vale vai erguer complexo solar de 766 MW


A mineradora tem meta de atingir autoprodução 100% renovável no país até 2025 e investirá US$ 500 milhões no projeto.

Logo ValeA mineradora Vale anunciou que erguerá um complexo solar de 766 MW, batizado de Sol do Cerrado, no município de Jaíba, em Minas Gerais, para descontar a geração no seu consumo de energia.  Com 17 parques solares, o empreendimento compreende ainda implantação de subestação elevadora, linha de transmissão e bay de conexão na subestação Jaíba em 230 kV, da Cemig.Já com contratos assinados para a conexão ao SIN – Sistema Interligado Nacional, estão previstos investimentos no projeto de aproximadamente US$ 500 milhões. A Vale calcula a economia com a usina em cerca de US$ 70 milhões por ano nos custos de energia elétrica. A previsão é de que o complexo entre em operação no quarto trimestre de 2022, quando passará a produzir aproximadamente 193 MWm de energia, o correspondente a 13% da demanda estimada da Vale em 2025.

O projeto Sol do Cerrado faz parte do total de US$ 2 bilhões em investimentos para redução das emissões de carbono que a Vale programou em seu orçamento e que visa ter 100% de autoprodução de energia a partir de fontes renováveis no Brasil até 2025 e consumo total de eletricidade renovável globalmente até 2030. A maior parte da autoprodução da Vale se concentra na geração hídrica, em participações em três usinas hidrelétricas e na propriedade de três PCHs no Brasil.

Mas a ideia é expandir para as novas renováveis. Além do projeto solar, o portfólio da Vale inclui participação recente, por meio da controlada Aliança Geração de Energia, nos parques eólicos Gravier e Acauã, no Ceará e no Rio Grande do Norte, respectivamente, que somam 180,6 MW de capacidade instalada, com 55% da sua produção destinada à Vale a partir de 2021. A empresa também consome 100% da energia da Usina Eólica de Santo Inácio, no Ceará, em operação desde 2018.

 

 

Fonte: arandanet.com.br