Legislação

SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS E LEVES PARA FACHADAS


A sustentabilidade parece ter entrado, finalmente, na pauta das indústrias da construção civil, que vêm investindo cada vez mais em novos produtos. Recentemente, por exemplo, chegou ao mercado a chapa cimentícia Aquapanel, da Knauf do Brasil.

Usada tanto na construção como na restauração de fachadas, a aquapanel é considerada sustentável por utilizar menos recursos naturais em sua fabricação e liberar 30% menos gás carbônico durante esse processo. Outra vantagem é o peso reduzido — 75% mais leve que a alvenaria comum, o que permite uma economia de até 25% nos gastos com transporte e energia.

— A construção civil é hoje a maior empregadora do país. Mas também é a indústria que mais devasta insumos naturais. Precisamos criar novos métodos construtivos, mais industrializados e limpos — defende Omair Zorzi, gerente técnico da Knauf.

Segundo Zorzi, o produto que foi desenvolvido por sua empresa seria vantajoso exatamente por evitar desperdícios comuns na construção:

— Hoje, 30% do material usado numa obra é transformado em resíduo e vai para o lixo. Essa chapa, como já vem pronta e é de fácil instalação, tem desperdício perto do zero — destaca.

Para fazer a instalação, basta aparafusar a chapa num perfil metálico para ter a parede pronta. Tal facilidade faz com que a obra ande muito mais rápida, assim como a execução de retrofits, já que evita o quebra-quebra. E como o material é bem mais leve — o peso gira em torno dos 40 quilos — reduz problemas na fundação, nos pilares e na laje.

Resultados parecidos aos alcançados pelos aerobrises instalados nas torres de elevadores do Complexo Rubem Braga, em Ipanema — que levam as pessoas às comunidades do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo. Os painéis, da Hunter Douglas, colaboram com a sustentabilidade, reduzindo a incidência solar na edificação.

— O sombreamento criado pelos aerobrises gera economia de 15% a 20% de energia — garante Dennis Squilante, gerente de vendas da Hunter Douglas.

Produzidos com aluzinc (composto de alumínio e silício, que leva até 8% de materiais recicláveis), os painéis têm peso reduzido, o que permite que sejam fixados a qualquer tipo de estrutura com sobrecarga mínima.


Fonte -Fonte: O Globo