Notícias

SOLAR AGORA É PARA VALER – A REVIRAVOLTA DA VISÃO PÚBLICA


“Solar agora é para valer” foi o título da revista Brasil Energia de dezembro passado. Um resumo perfeito da evolução de 2014, que contou com uma multiplicação de sistemas solares em empresas e lares brasileiros e com a compra de 1 Gigawatt em usinas solares no primeiro leilão desta tecnologia

Até o governo, antes tímido nesta questão, está entrando no coro. Maurício Tolmasquin, presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Enérgética (EPE), afirma: “Da mesma forma que ocorreu com a energia eólica, que hoje é extremamente competitiva com as demais fontes, deve ocorrer com a energia solar, e que ela venha ser competitiva com as demais fontes”, conforme o Jornal Nacional. Uma reviravolta, quando comparado com o ano anterior.

No entanto, o caminho solar ainda não está tão bem pavimentado. A partir de fevereiro será obrigatório certificar inversores no Brasil. Se era urgente montar laboratórios locais para melhorar a competitividade de fabricantes nacionais, não é isto que está sendo colocado em prática.

Pelas informações atuais, a certificação nacional terá alto custo, terá que ser refeita anualmente (o que outros países consideram desnecessário) e ainda conta com longas filas, já que os poucos laboratórios estão apenas iniciando o trabalho. Como efeito, a oferta no mercado será reduzida, já que a barreira para oferecer novos produtos será grande. Fatos que prejudicam o cliente final, a quem serão repassados estes custos.

O Brasil está a ponto de aproveitar a energia solar barata, por causa da iniciativa de países europeus. O Brasil precisa se ver como parte do mundo, não como mundo à parte. Precisa equilibrar a abertura do mercado com desenvolvimento nacional. Precisa, enfim, definir uma estratégia política que dê continuidade à queda de preços e não a reverta, frente à crise energética atual. Esperamos que o novo Ministro de Minas e Energia acerte o caminho.

Da nossa parte estamos acompanhando o movimento e intensificamos a agenda: nosso curso, já reconhecido pelo conteúdo prático, passa a ser bimestral. As inscrições para a primeira edição de 4 a 6 de fevereiro já começaram. Não perca a oportunidade!


Fonte -Fonte: Solarize