Geral

Rio Exporta registra superávit de US$ 1,2 bilhão de janeiro a outubro


O saldo comercial do estado do Rio registrou superávit acumulado de US$ 1,2 bilhão, de janeiro a outubro deste ano. De acordo com o Rio Exporta, boletim de comércio exterior, elaborado pela Firjan, o estado exportou US$ 19,1 bilhões e importou US$ 17,9 bilhões, no período. Apesar do recuo de 12% na corrente de comércio, em comparação ao mesmo período de 2019, o Rio manteve o segundo lugar entre os estados brasileiros com maior fluxo internacional do país.Houve queda de 19% nas exportações fluminenses, com retrocesso em dez dos principais setores da indústria, entre eles: Metalurgia (US$ 1,7 bilhão; recuo de 29%) e Coque, produtos derivados de petróleo e biocombustíveis (US$ 841 milhões; menos 34%). Dois produtos tiveram destaque positivo: torneiras, válvulas e dispositivos semelhantes e partes (US$ 184 milhões), com avanço de 13%; e veículos de carga (US$ 68 milhões), com aumento de 1%, sinalizando estabilidade.

Com relação ao petróleo, o estado teve 11% de queda nas exportações, puxada principalmente pela China (US$ 8,4 bilhões; -22%) e pelos EUA (US$ 601 milhões; -66%). Segundo Giorgio Luigi Rossi, coordenador da Firjan Internacional, “os resultados ainda demonstram o relevante impacto da desaceleração provocada pela pandemia nas exportações fluminenses.”

No comércio exclusive petróleo, o destaque é que os EUA continuam sendo o principal parceiro na compra de produtos fluminenses. O total exportado foi US$ 5,3 bilhões, tendo os EUA em primeiro lugar, com US$ 2,3 bilhões.

 

Os resultados ainda demonstram o relevante impacto da desaceleração provocada pela pandemia nas exportações fluminenses – Giorgio Rossi, coordenador da Firjan Internacional

 

Destaques das importações

Já nas importações, o Rio registrou um recuo acumulado de 4%, apesar do crescimento de 4% das aquisições de bens industriais (US$ 15,3 bilhões).

O boletim também destaca o balanço das importações de insumos e equipamentos hospitalares para o combate ao novo coronavírus. No acumulado do ano, o estado teve um aumento de dois itens relevantes para o tratamento da doença: torneiras e dispositivos semelhantes (+ 10%), que são produtos para canalizações e procedimentos médicos; e reagentes de diagnósticos de laboratório (+ 407%). Os produtos da Lista Covid-19 tiveram origem, principalmente, da China (9%), Alemanha (8%) e EUA (7%).

Para baixar a íntegra do Boletim Rio Exporta clique aqui.

 

 

Fonte: firjan.com.br