Geral

PETROBRÁS LANÇA LICITAÇÃO PARA COMPLEMENTAR UMA DAS UNIDADES DO GASLUB ITABORAÍ, O ANTIGO COMPERJ


A Petrobrás acaba de colocar na praça uma licitação envolvendo uma das unidades do Polo GasLub Itaboraí, o antigo Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). A concorrência em questão visa a complementação do Projeto Executivo, Construção Civil, Montagem Eletromecânica, Interligações, Comissionamento e Testes para a Rede de Água de Combate à Emergência, tanto na área administrativa quanto na área industrial do empreendimento. O início do período para envio das propostas começou nesta semana e a abertura dos envelopes está marcada para o dia 22 de outubro. A abrangência da licitação será nacional.

A empresa que conseguir faturar a disputa, garantirá trabalhos por cerca de nove meses – prazo dado pela Petrobrás para a execução dos trabalhos. A complementação desta unidade de rede de água de combate, chamada pela sigla “RACE”, visa atender ao projeto da Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) do gasoduto Rota 3. Tanto a UPGN quanto a Rota 3 estão em construção. A atual gestão da Petrobrás tem mudado os rumos do Comperj, o que vai muito além da alteração de nome. A empresa já confirmou ao mercado em diversas ocasiões que está estudando novas alternativas para o empreendimento.

Como já se sabe, duas das ideias em cima da mesa da diretoria da Petrobrás são a construção de uma planta de processamento de lubrificantes e a possibilidade de desenvolvimento de uma térmica em parceria com outros investidores para geração de energia a partir do gás do pré-sal processado no GasLub.

 

Enquanto isso, apesar de contratempos, as obras para erguer a UPGN no local estão caminhando. Segundo uma fonte de mercado ouvida pelo Petronotícias, já foram entregues os últimos skids, que devem agora partir para a próxima etapa, a montagem eletromecânica. Para lembrar, em abril desse ano, devido ao agravamento da situação da pandemia do coronavírus, o contingente de trabalhadores no canteiro de obras da UPGN foi reduzido para 30%. Em junho, porém, a empresa foi autorizada pelo governo municipal a aumentar esse número para 65%.

Outro contratempo envolvendo a UPGN foi a dificuldade financeira relatada pelo consórcio responsável pelas obras, o Kerui-Método. A diretora executiva de Finanças e Relacionamento com Investidores da Petrobrás, Andrea Almeida, declarou naquela altura que a estatal estava monitorando os pagamentos feitos pelo consórcio às suas contratadas para dar continuidade às obras.

O projeto Integrado Rota 3, que abrange a UPGN e o gasoduto, está previsto para ser concluído em 2021, com capacidade para escoar e processar diariamente 21 milhões de metros cúbicos de gás do pré-sal. O anúncio da licitação (7003195561) para complementação da RACE do Gaslub foi divulgado ontem (18), no Diário Oficial da União (DOU).