Hidrossanitária

MME ABRE CONSULTA PÚBLICA PARA PLANO DECENAL DE EXPANSÃO DE ENERGIA-2024


O futuro energético do Brasil está em Consulta Pública até o dia 7 de outubro. O Ministério de Minas e Energia abriu o Plano Decenal de Expansão de Energia com horizonte de 2024 (PDE 2024), desenvolvido pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), para construção conjunta de políticas públicas entre governo e sociedade.

No processo, cidadãos, empresas, movimentos e organizações podem se manifestar, para aprimorar os programas e metas do governo. O plano prevê um aumento de 73 mil MW na capacidade instalada nacional, cerca de metade da expansão baseada em fontes renováveis, como eólica, solar, biomassa e Pequenas Centrais Hidrelétricas.

O setor de óleo e gás também faz parte do PDE 2024, com projeção de que o Brasil estará entre os maiores produtores do mundo daqui dez anos, com produção de 5 milhões de barris por dia (bpd) e exportações de 2 milhões de bpd. O segmento, inclusive, será o que receberá maior volume de investimentos, R$ 993 bilhões nos próximos dez anos, 70,6% dos investimentos totais. A verba será destinada em grande parte para o pré-sal, que deve ser responsável por dois terços do petróleo produzido em 2024.

O Brasil já se destaca hoje com 39% da sua matriz energética formada por fontes de energia renováveis, mas, em 2024, a expectativa é que esse número suba para 45%. A participação das renováveis no Brasil é e continuará sendo bastante superior à média mundial de 13,5% ou dos outros 33 países que compõem a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), de cerca de 9%.

Enquanto as eólicas deverão responder a 11,5% da capacidade instalada em 2024 (23,9 mil MW), as hidrelétricas continuarão perdendo espaço, caindo mais de 10 pontos percentuais, para 57% em 2024. A energia solar, por sua vez, representará cerca de 3% da capacidade instalada e a participação de fontes não-renováveis na matriz elétrica mantém-se em 16% ao fim do horizonte decenal.


Fonte -Fonte: PetroNotícias