Geral

Método inédito de detecção do coronavírus em redes de esgoto


Projeto é desenvolvido pela BRK Ambiental e Instituto Senai de Inovação em Química Verde.

Método inédito de detecção do coronavírus em redes de esgoto
FOTOS PUBLICITÁRIAS BRK MACAÉ RJ ABRIL DE 2018

A BRK Ambiental, empresa privada de saneamento básico, a Vitaltec Engenharia e o Instituto Senai de Inovação em Química Verde, ligado à Firjan Senai, anunciam parceria para viabilizar políticas de combate ao vírus da Covid-19.

Com o objetivo de desenvolver um método inédito para a avaliação da presença do material genético do vírus SARS-CoV-2 no esgoto que chega às estações de tratamento em Macaé, RJ, o projeto conta com o financiamento da Embrapii – Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial e apoio da Prefeitura Municipal de Macaé, que colocará à disposição as equipes técnicas das secretarias de Saúde, Saneamento e de Meio Ambiente.

A tecnologia utiliza um novo sistema de ultrafiltração, produzido com uma membrana feita de polímero, combinada com a técnica de RT-PCR em tempo real. A metodologia otimizada ao longo da ação será capaz de detectar com precisão a presença muito pequena do material genético do vírus causador da Covid-19 nas amostras. Uma vez implementado, os resultados gerados poderão atuar como um indicador da densidade de pacientes positivos na região.

“Pesquisas ao redor do mundo já identificaram a presença do vírus no esgoto de grandes centros urbanos. No entanto, foram usados métodos diferentes para esta avaliação e as amostras são geralmente complexas, o que pode gerar sérias imprecisões quanto aos dados obtidos. Com a adoção de um método padrão, temos condições de tornar as análises mais precisas e ter uma real visão da propagação da doença em uma região”, explica o pesquisador do Instituto Senai de Inovação em Química Verde, Alex Queiroz.

Para validação do método proposto, serão coletados materiais em pontos estratégicos do município e a expectativa é de que os resultados permitam estimar o real nível de contaminação, considerando que uma parcela dos pacientes com Covid-19 pode não apresentar sintomas evidentes, porém são capazes de transmitir o vírus para outras pessoas.

“Com o projeto, estamos investindo no desenvolvimento de uma ferramenta que poderá ser de extrema utilidade para as políticas de combate ao coronavírus. Os resultados vão servir como uma base de informações para o monitoramento do avanço da pandemia em Macaé”, pontua Sinval Andrade, diretor da BRK Ambiental no Rio de Janeiro.

Ao longo das análises, todas as instituições vão contribuir ativamente com o projeto. A BRK Ambiental será responsável pelo suporte tecnológico em relação aos processos de tratamento de esgoto; o Instituto Senai de Inovação em Química Verde realizará os ensaios laboratoriais; a Vitaltec Engenharia vai desenvolver o sistema de ultrafiltração; e a prefeitura de Macaé vai promover apoio logístico e institucional.