Eficiência Energética

INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CONTRAI, E EMPRESÁRIOS ESTÃO PESSIMISTAS


A atividade e o emprego na indústria da construção mantiveram a trajetória de queda em maio, informa a Sondagem Indústria da Construção, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) na última quarta-feira (24).

O indicador do nível de atividade ficou em 37,7 pontos e o de evolução do número de empregados alcançou 36,6 pontos – os indicadores da pesquisa variam de zero a cem pontos. Quando estão abaixo de 50 são negativos. “Os resultados de maio expõem a manutenção do quadro de contração da indústria da construção e de pessimismo dos empresários do setor”, analisa a CNI.

O indicador de uso da capacidade de operação ficou em 61%, pouco acima dos 60% registrados em maio. Com a ociosidade beirando os 40%, os empresários estão menos dispostos a investir. O índice de intenção de investimentos caiu para 28,9 pontos, o nível mais baixo da série histórica que começou em novembro de 2013. As empresas de grande porte são as que estão menos propensas a investir. Nas grandes indústrias, o indicador de intenção de investimento ficou em 27,8 pontos, nas médias, em 29,6 pontos, e, nas pequenas, em 31 pontos.

A pesquisa mostra ainda que, apesar da leve melhora, os empresários continuam pessimistas. Todos os indicadores de expectativas para os próximos seis meses sobre a atividade, o emprego, os novos empreendimentos e serviços e as compras de matérias-primas e insumos ficaram abaixo dos 50 pontos, mostrando que as perspectivas seguem negativas.

A Sondagem Indústria da Construção foi feita entre 1º e 12 de junho com 598 empresas, das quais 197 de pequeno porte, 272 médias e 129 grandes.


Fonte -Fonte: G1