Geral

Fabricantes apostam nos módulos com potência acima de 600 W


Os grandes produtores de equipamentos solares estão se empenhando para difundir globalmente os módulos fotovoltaicos de maior potência, acima de 600 W. Depois da Trina Solar ter anunciado no mês passado a nova série Vertex 600W+, há poucos dias foi a vez da JinkoSolar lançar uma nova geração do módulo solar TR monocristalino Tiger Pro, de 610 W.

Para conseguir produzir o modelo Tiger Pro 610W, a JinkoSolar desenvolveu uma nova célula de alta eficiência, a N-Type HOT 2.0, com novas tecnologias de contato passivado e metalização avançada, que garantiram eficiência de 24,79%, considerado pela empresa um novo recorde mundial em se tratando de células de silício monocristalino tipo N para grandes áreas.

Também foi apontado como importante para atingir a nova potência do módulo o uso do design de 78 células e da tecnologia TR, que ajuda a reduzir o gap celular, além de diminuir o custo da eletricidade e melhorar a compatibilidade do sistema. Com todas essas tecnologias, o módulo atingiu eficiência de conversão de 22,3% com sua potência máxima de 610 W.

Já a Trina Solar anunciou esta semana um acordo de investimento mútuo com o Comitê de Gestão da Zona de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico Yancheng, em Jiangsu, na China, para expandir a capacidade de fabricação de células solares de 210 mm, que visam a produção dos novos módulos de alta potência Vertex 600W+. Com o investimento, a empresa adicionará 7,6 GW à sua capacidade de produção anual voltada ao fornecimento global, que hoje é de 2,5 GW. Além disso, haverá atualização na produção de outros 2,4 GW já existentes na mesma unidade, o que, até o fim do ano, fará a produção chegar a 26 GW, sendo que as células de 210 mm corresponderão a 70% desse valor. De acordo com a Trina, a série Vertex 600W+ utilizará 10 GW da produção de células 210 mm.