ESTADO DÁ INÍCIO ÀS OBRAS DE NOVO SISTEMA DE SANEAMENTO DE PAQUETÁ


O Governo do Estado, através da Cedae, deu início na manhã de sexta-feira (11/11), na Praia dos Tamoios, em Paquetá, às obras para instalação de um novo sistema de esgotamento sanitário na ilha, que beneficiará cerca de 4,5 mil moradores, podendo alcançar 20 mil no período de férias. Com estas obras haverá uma recuperação completa de todo o sistema de esgotamento da Ilha de Paquetá, resultando na balneabilidade das praias e a consequente melhoria das águas da Baía de Guanabara, que ficarão livres do despejo de 100 litros de esgoto por segundo.

– O Projeto Paquetá Sustentável tem condições de atender, inclusive, ao aumento de demanda que ocorre no verão e em datas festivas quando a população da ilha quadruplica. Este é o maior investimento realizado nos últimos 50 anos em Paquetá. São R$20 milhões aplicados especificamente em saneamento básico – explicou Victer.

Com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), as intervenções são fruto da parceria entre governo do estado, Cedae e União, através da Caixa Econômica Federal. O empreendimento atende ainda às aspirações do Movimento Paquetá Sustentável e é mais uma realização que vai ao encontro dos compromissos do Estado junto ao Comitê Olímpico Internacional (COI) para a realização das Olimpíadas de 2016.

– Este projeto, que vai ao encontro aos compromissos firmados com o Comitê Olímpico Internacional, foi concebido antes do Rio de Janeiro ganhar a disputa pelo direito de sediar o evento. Estamos levando qualidade de vida à população local e fomentando a despoluição da Baía de Guanabara, onde ocorrerão as provas de vela em 2016 – salientou Marcio Fortes.

José Luiz Alquéres, presidente do Conselho do Movimento Paquetá Sustentável, comemorou a iniciativa como a materialização dos objetivos do grupo.
– O movimento nasceu no início de 2011, com o objetivo de identificar e propor soluções para os problemas da ilha de Paquetá, como melhorias no sistema de esgoto, coleta seletiva de lixo, recuperação do patrimônio histórico, remoção das casas em áreas de risco, entre outros, e agora começa a colher seus primeiros frutos – explicou Alquéres.

O atual sistema que atende à população da ilha de Paquetá remonta ao final do século XIX, ainda no período do Brasil imperial, tendo sido executado pela empresa internacional City, uma concessionária a serviço do imperador Dom Pedro II. Esse modelo arcaico será substituído por uma elevatória com capacidade para bombear até 100 litros de esgoto por segundo – observou o presidente da Cedae, Wagner Victer.

– Este é um golaço ambiental do Governo do Estado. De 2007 para cá, inauguramos a Estação de Tratamento de Esgotos de Alegria e Sarapuí e estamos recuperando as Estações da Pavuna e São Gonçalo. Aliados a drenagem do canal do Cunha e ao senamento de Paquetá, essas obras são um marco para o saneamento da Baía de Guanabara – afirmou o secretário do Ambiente Carlos Minc.

A Cedae instalará 9.560 metros de linha de recalque subaquática entre a Ilha de Paquetá e a Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) de São Gonçalo, com tubos polietileno de alta densidade e 355 mm de diâmetro. Além disso, serão substituídos e assentados 4,8 mil metros de rede coletora e feitas 480 ligações prediais.

A Cedae também fará a substituição de 870 metros de troncos coletores por tubos de concreto armado de 500 mm de diâmetro. Com a substituição de 2,6 mil metros de recalque, haverá melhoria operacional nas quatro elevatórias existentes.

Participaram da cerimônia de lançamento das obras em Paquetá, o presidente da Cedae, Wagner Victer, o presidente da Autoridade Olímpica, Márcio Fortes, o secretário do Ambiente, Carlos Minc, o presidente do Conselho do Movimento Paquetá Sustentável, José Luiz Alqueres, e do presidente do Projeto Grael, Axel Grael, entidade de preservação da Baía de Guanabara.


Fonte -Fonte: Cedae