Eficiência Energética

ENTENDA COMO FOI O ACIDENTE NO ESTÁDIO DO CORINTHIANS


DESABAMENTO DE PEÇA DE 420 TONELADAS MATOU DUAS PESSOAS

Estádio vai sediar jogo de abertura e mais cinco partidas da copa de 2014

A Odebrecht diz que a peça que caiu seria a 38ª a ser instalada na cobertura, todas a as anteriores não apresentavam problemas.

O guindaste que içava esse último módulo tombou no início da tarde, provocando a queda da peça sobre parte da área de circulação do prédio leste e atingindo parcialmente três pavimentos. Segundo a empresa, a máquina podia erguer até 1,5 mil toneladas.

O gerente operacional da obra, Frederico Barbosa, disse que todo o procedimento para colocação da estrutura envolvida no acidente foi feito conforme os procedimentos indicados. Barbosa disse que checou pessoalmente as condições de vento e temperatura para autorizar o içamento da peça.

“A operação estava correta, faz parte do procedimento, nada fora do que estava programado, tinha acabado de chover, tínhamos esperado uma semana para fazer o procedimento”, afirmou.

O acidente aconteceu no momento em que a maioria dos operários estava em horário de almoço. Cerca de 30 pessoas participavam da operação para erguer a peça e a área estava isolada.

Fábio Luiz Pereira dirigia um dos caminhões envolvidos na operação. Ronaldo dos Santos descansava em um túnel que dá acesso a uma área do estádio.

Perícia:

O guindaste estava no canteiro de obras da Arena Corinthians desde o 2º semestre do ano passado e era responsável pela montagem da cobertura da arquibancada.

O operador da máquina é contratado da Locar, proprietária do guindaste. Ele não ficou ferido no acidente porque estava fora do equipamento no momento da queda, mas precisou receber atendimento médico porque ficou muito nervoso com o acidente.

Em nota, a Locar informou que tem equipe no local e que vai colaborar na apuração dos fatos. Odebrechet e Corinthians afirmaram em pronunciamento conjunto que somente a perícia vai determinar a causa do acidente.

O ex-presidente do Corinthians Andrés Sanchez afirmou que empresa e clube não têm estimativa de qual será o impacto do desabamento no cronograma das obras do estádio, que vai abrigar a abertura da Copa do Mundo. “Não estamos nem pensando nisso, as autoridades vão fazer o que precisa ser feito. O que menos estamos preocupados é cronograma, prazos. Estamos preocupados em atender as famílias da vítima”, disse.

O estádio do Corinthians foi o local escolhido pela Fifa para o jogo de abertura da Copa do Mundo no dia 12 de junho de 2014, que será entre a seleção brasileira e um adversário a ser definido no sorteio das chaves do Mundial no dia 6 de dezembro, na Costa do Sauipe (BA).


Fonte -G1