Geral

Empresas de energia fotovoltaica adotam ações contra o coronavírus


Muitas companhias têm se mobilizado para reduzir os prejuízos causados pelo avanço da Covid-19. No setor solar fotovoltaico, iniciativas incluem doação de recursos financeiros e fornecimento de equipamentos a preço de custo

Empresas de energia fotovoltaica adotam ações contra o coronavírus

Com a disseminação acelerada do novo coronavírus pelo mundo, empresas do setor solar têm realizado ações para ajudar a reduzir os impactos ocasionados pela doença. A EDP Renováveis, por exemplo, vai doar 750 mil euros para ajudar na luta contra o Covid-19. Os recursos serão destinados a financiamento de projetos nos locais onde a empresa atua. As iniciativas compreendem doações de alimentos, compra de material de saúde, equipamentos médicos, testes rápidos e de material escolar digital para facilitar o ensino à distância. É previsto que o montante seja distribuído a dez países (Bélgica, Brasil, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, França, Grécia, Itália, Polónia e Roménia) –– a empresa estudou as necessidades de cada mercado para direcionar a ajuda de forma mais eficaz. O Grupo EDP também doou aos mercados português e brasileiro mais de 5 milhões de euros.

Outra empresa engajada no esforço contra a pandemia é a Aldo, distribuidora de equipamentos para geração de energia solar, que está disponibilizando a preço de custo equipamentos de energia solar capazes de garantir o abastecimento de energia de aparelhos essenciais como respiradores, ventiladores e iluminação, que funcionarão como um gerador de energia emergencial, principalmente em hospitais de campanha ou em localidades sem rede. São comercializados dez modelos de geradores/sistemas de sobrevivência de urgência off-grid, totalmente sem lucro, garante a empresa.  Para Aldo Pereira Teixeira, fundador e presidente da Aldo, a ação ajuda na atual situação de emergência global e também a manter a companhia em atividade, preservando empregos.