Geral

Em reunião com governador, industriais da Firjan Serrana pedem investimentos em infraestrutura


Em reunião com governador, industriais da Firjan Serrana pedem investimentos em infraestrutura
Castro diz que atuará junto a União para a retomada imediata das obras da nova pista de subida da BR-040, paralisada desde 2016 e destinará R$ 45 milhões para a manutenção da via.
Foto: Vinicius Magalhães

 

Em sua passagem pela Região Serrana, o governador em exercício, Claudio Castro, se reuniu com empresários da indústria de Petrópolis e de Teresópolis, nesta terça-feira, dia 12, na sede da Firjan Serrana. No encontro promovido pela Firjan, os líderes industriais da Serra pediram investimentos em infraestrutura, logística, mobilidade e segurança que possam melhorar a competitividade das empresas, fomentar negócios e contribuir para o crescimento dos municípios. Parte das propostas integra o Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro 2016-2025, agenda estratégica construída pelos empresários da Firjan com soluções para os entraves ao desenvolvimento econômico e social das regiões fluminenses.

Julio Talon, presidente da Firjan Serrana, entregou um documento ao governador e enfatizou que conta com o apoio do executivo estadual em relação à concessão da rodovia BR-040. “Mesmo sabendo que a decisão é da União, queremos o apoio do governador para que use sua influência junto ao Planalto, ANTT e deputados do Rio para viabilizar todas as necessidades em torno do tema BR-040, que é prioridade em todas as discussões. Preocupa-nos muito o destino das nossas cidades, quando o principal eixo rodoviário de ligação entre Rio e Minas Gerais tem futuro indefinido”, disse.

Entre as obras prioritárias estão a melhoria nos acessos às áreas industriais, principalmente, ao distrito industrial da Posse e a ligação Bingen-Quitandinhaadequações na RJ-130, que liga Teresópolis a Nova Friburgo; e a construção do contorno de Teresópolis, que resolveria um gargalo de mobilidade dentro da cidade e agilizaria o deslocamento para outros municípios da Região Serrana. A instabilidade e as interrupções no fornecimento de energia elétrica e a qualidade da banda larga fornecida também foram citadas no documento. A preocupação são as oscilações que prejudicam o desenvolvimento de projetos de alta precisão do Laboratório Nacional de Computação Cientifica (LNCC) e da instalação e ampliação do polo tecnológico do Serratec.

Os empresários também pediram investimentos para a ampliação do sistema de prevenção, monitoramento e reação a eventos climáticos, além da construção de centros de coleta e tratamento de resíduos urbanos e industriais e, a adequação da infraestrutura de saneamento básico. Em relação a segurança, tema que tem preocupado cada vez moradores e empresários, a proposta é integrar as câmeras de vigilância da iniciativa privada ao sistema de monitoramento das forças de segurança, ampliando a área de cobertura.

Após ouvir os pleitos das lideranças industriais, Castro disse que há uma dívida histórica com a infraestrutura de Petrópolis e que atuará junto ao Ministério do Planejamento para a retomada imediata das obras da nova pista de subida da BR-040, paralisadas desde 2016. Em troca, o governador pretender destinar R$ 45 milhões já garantidos por emendas parlamentares para a manutenção da via.

O governador em exercício também garantiu que boa parte do valor recebido com a concessão da Cedae será revertida para a infraestrutura estadual. “A venda da Cedae vai dar capacidade de investimento e desenvolvimento econômico para o Rio”, resumiu.

Ainda para 2021, Castro anunciou obras de revitalização nas rodovias RJ-134 (no trecho Pedro do Rio – Posse – São José do Vale do Rio Preto), na RJ-123 (entre Secretário e Pedro do Rio), na RJ-131 (trecho da Estrada União e Indústria entre Três Rios e Levy Gasparian) e na RJ-151 (Afonso Arinos – Levy Gasparian). “É a infraestrutura que privilegia o produtor e a indústria. Esta agenda tem foco no desenvolvimento econômico. A Região Serrana é importantíssima, reúne uma série de vocações do estado”, destacou.

Lideranças setoriais em destaque

Questionado por Vinicius Barbosa, diretor da Mustad, Cláudio Castro voltou a destacar a participação da indústria e do agronegócio na arrecadação estadual, assim como feito diante dos empresários da Firjan Centro-Norte, em encontro no domingo (10/11). Ele elogiou a importância do setor produtivo da região serrana e, prometeu melhorar o ambiente empreendedor. “Estamos trabalhando em um projeto de modernização tributária para diminuir os incentivos fiscais e trabalhar nas alíquotas, principalmente, igualando aos estados vizinhos. Isso trará segurança jurídica para o empresário que hoje não sabe se terá o incentivo renovado. Estamos abertos a ouvir propostas, abrir mão de arrecadação para gerar o desenvolvimento do nosso estado”, disse.

Outro anúncio feito pelo executivo estadual foi um novo programa para parcelamento e refinanciamento de débitos de ICMS. “Esta é uma ótima notícia. Muitos negócios sofreram com a pandemia e os empresários têm boa vontade em pagar, limpar seus nomes e voltar a ter acesso a crédito”, disse Roberto Badro, presidente do Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria de Petrópolis (Sindipães).

Outras lideranças industriais da Firjan Serrana falaram ao governador e às autoridades locais e federais presentes no encontro. José Renato Romão, empresário do setor de bebidas, destacou o potencial turístico cervejeiro da Região Serrana, que conta com metade das indústrias do segmento no estado do Rio, e reforçou a necessidade de revisão tributária do setor. Em resposta, o governador afirmou que o projeto de redução da alíquota do ICMS já está sendo avaliado pela Assembleia Legislativa.

Luis Daud, representante do Sinditec RJ, pediu mais atenção à educação técnica para formação de pessoas, principal meio de atração de novos negócios. Castro assegurou que pretende direcionar o Faetec para agir sob demanda de novos negócios e atuando conforme as vocações de cada região.

Marcelo Carius, presidente do Serratec, cobrou maior participação do setor público nos projetos de tecnologia, assim como ocorre em outros estados brasileiros, onde o setor é destaque. “Atualmente, todos os investimentos são realizados pela iniciativa privada. O Serratec se mostra vitorioso, elogiado inclusive pelo Ministro da Ciência e Tecnologia, o astronauta Marcos Pontes, como exemplo a ser replicado em todo o País. O programa de Residência de Software/TIC emprega cerca de 70% dos alunos formados nas indústrias da região”, explicou Carius que completou que a meta é formar 1 mil novos programadores em 4 anos e expandir as oportunidades para outros municípios da região.

Luiz Fernando Gomes, empresário da Construção Civil, elogiou a integração entre Estado, município e a bancada de deputados do Rio, com o objetivo de defender melhorias e investimentos para a região. Gomes citou diversos projetos em andamento, como o Centro Tecnológico da Região Serrana no Quitandinha e a reurbanização do bairro de entrada da cidade. O empresário pediu ainda celeridade nas avaliações e aprovações de projetos, que muitas vezes ficam parados por anos apegados a detalhes. “É preciso avaliar o processo burocrático de avaliação de projetos. O grande objetivo é gerar empregos e ampliar a arrecadação do município e Estado. Precisamos remover os

 

 

Fonte: firjan.com.br
Foto: Vinicius Magalhães