Geral

Complexo Industrial da Saúde no Rio é tema de encontro de ministro com diretoria da Firjan


Encontro com o ministro da saude, Marcelo Queiroga
Foto: Paula Johas

O tema central de reunião entre a diretoria da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, foi a necessidade de se estimular um Complexo Industrial de Saúde no Rio de Janeiro. O encontro aconteceu na tarde desta sexta-feira, 14 de maio, na Casa Firjan, em Botafogo.

“É muito importante incentivarmos no Rio de Janeiro um centro de produção de medicamentos e produtos relacionados à saúde a partir do complexo de Biotecnologia que a Fiocruz vai erguer em Santa Cruz”, ressaltou o presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira. A busca por autossuficiência na cadeia produtiva da Saúde pautou a reunião. A Firjan destacou que a longa cadeia de produção desses insumos se mostrou incompatível com a segurança da população diante da pandemia. A mais grave crise sanitária em um século mostrou a urgência de se investir nessa produção no Brasil. É uma questão de segurança nacional.

“Já assumo aqui um compromisso: é uma prioridade do governo fomentar o complexo industrial de saúde. O Brasil não pode só produzir soro, mas sim insumos com valor agregado. Faremos todos os esforços para fomentar a indústria no Rio”, afirmou o ministro Queiroga.

A Firjan destacou seu engajamento em ações de combate à pandemia: lançou o programa Resiliência Produtiva, com sugestões aos governos federal e estadual para mitigar os efeitos da pandemia no setor produtivo, que teve 80% das propostas implementadas; a testagem de 48 mil trabalhadores da indústria, e de forma gratuita para as micro e pequenas; a cessão de espaço na Casa Firjan para vacinação contra a Covid; o engajamento da Firjan, Firjan SENAI, indústrias e sindicatos patronais na produção de faceshields quando esse produto era escasso no país, entre outras ações.

Carlos Fernando Gross, primeiro vice-presidente da Firjan CIRJ, e presidente do sindicato das Indústrias de Produtos Farmacêuticos do Estado do Rio de Janeiro (Sinfar-RJ), também participou da reunião. Gross ressaltou o caráter inovador das indústrias desse setor, citando as empresas que produzem as vacinas contra a Covid.

 


Fonte: firjan.com.br

Foto: Paula Johas