CEDAE E LIGHT INAUGURAM PROGRAMA DE EFICIENTIZAÇÃO ENERGÉTICA DO GUANDU


A Cedae inaugurou na terça-feira (20/09), às 10h, na Estação de Tratamento de Água (ETA) do Guandu, no Km 19,5 da antiga Rodovia Rio-São Paulo, a principal obra do Programa de Eficientização Energética da Cedae. Fruto da parceria com a Light, o projeto permitirá uma economia anual de energia elétrica de 19 mil megawatts, correspondentes a R$ 3,6 milhões.

O programa consistiu na eliminação do bombeamento de 1.400 litros de água por segundo a uma altura de 110 metros e na substituição de válvulas com mais de 50 anos por outras 208 com acionamento hidráulico. Concluídas em oito meses, as intervenções proporcionarão um aumento na produção e oferta de água de mil litros por segundo. Também foi feita: a automação de todo sistema de lavagem de filtros e a troca de sete conjuntos de bombas por outras mais modernas e eficientes, dando mais segurança operacional ao sistema.

No conjunto, as ações combaterão o desperdício de cerca de 200 litros de água tratada por segundo, quantidade compatível ao consumo de uma cidade de 100 mil habitantes, como Itaperuna, no Noroeste fluminense. A ETA Guandu fará economia de energia suficiente para atender o consumo residencial de uma cidade de aproximadamente 32 mil habitantes, o que equivale ao tamanho da população do município de Vassouras, no Sul fluminense.

Sem nenhum custo para a Cedae, o Programa de Eficientização Energética contempla outras quatro unidades da empresa: a Estação Elevatória de Água (EEA) do Juramento, em Vicente de Carvalho; EEA Acari; EEA Guaicurus, no Rio Comprido; e Estação Elevatória de Esgotos (EEE) André Azevedo, em Copacabana.
Usina de Paracambi – Também na terça-feira (20/09), a Estação de Tratamento de Água (ETA) do Guandu parou para atender a solicitação da Light, que necessitou desta providência para concluir a instalação da Pequena Central Hidrelétrica (PCH) de Paracambi, no leito do Guandu. Aproveitando a paralisação do sistema, a Cedae fez a manutenção preventiva da ETA, evitando assim interromper a captação de água mais de uma vez no ano.

A paralisação da maior estação em volume de água tratada do mundo, conforme registrada no Guinness Book, o livro dos recordes, teve duração de 24h. A ETA Guandu é responsável pelo abastecimento de 85% da Cidade do Rio de Janeiro e 75% da Baixada Fluminense, totalizando cerca de 7,6 milhões de pessoas. A Cedae montou esquema especial para atender hospitais, escolas e outros órgãos de atendimento essencial com carros-pipa no período em que a estação esteve inoperante.

Técnicos da Cedae fizeram uma vistoria minuciosa nos reservatórios e canais de água filtrada da estação de tratamento e nas adutoras e elevatórias que compõem o sistema do Guandu. O abastecimento de água começou a ser normalizado logo após o religamento do sistema, entretanto, em algumas áreas mais isoladas, esse fornecimento levou até 48h após a conclusão dos trabalhos, para ser restabelecido.

Construída em 1955, a ETA Guandu teve suas obras concluídas em 1963. A estação trata 43 mil litros de água por segundo, abastecendo cerca de nove milhões de habitantes.


Fonte -Fonte: Monitor Mercantil Digital