Geral

Caminhão elétrico nacional fecha acordo para baterias


Empresa norte-americana monta fábrica dentro do complexo da FNM, em Caxias do Sul, que produzirá caminhão elétrico

A norte-americana Octillion Power Systems fechou acordo com a brasileira FNM – Fábrica Nacional de Mobilidades para fornecer baterias de íon-lítio que serão utilizadas no caminhão elétrico que a empresa prevê começar a produzir ainda neste ano em sua unidade produtiva em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul.

A Octillion montará sua fábrica de baterias no complexo industrial da FNM, que por sua vez fica nas instalações industriais da Agrale, fabricante de tratores e caminhões sócia na nova empresa. A colaboração permitirá a produção  dos modelos de caminhão elétrico FNM 832, com capacidade de até 14 toneladas, e FNM 833, para 18 toneladas.

A bateria dará autonomia de até 300 km para os caminhões, que serão comercializados diretamente pela FNM, sem intermediação de concessionárias, para demandas de entregas urbanas. Em uma próxima etapa, a intenção da FNM é começar a produzir também tratores e ônibus elétricos. Isso porque a direção conta com longa história no setor, já que os outros sócios da empresa são filhos de ex-executivo e acionista da Marcopolo, uma das maiores montadoras de ônibus do mundo, também com sede em Caixas do Sul.

A FNM também tem uma história pregressa ligada ao setor. Antes de ser fundada com o propósito de atuar na eletromobilidade, a empresa já existiu anteriormente e foi a primeira fabricante de caminhões no Brasil a partir de 1942, quando foi criada como Fábrica Nacional de Motores, fechando suas portas em 1988. Além dos modelos próprios, a ideia da nova FNM é oferecer o serviço RePower, que transforma veículos com motor a diesel em elétricos.

A Octillion fornece sistemas avançados de armazenamento de energia de alta densidade com foco na eletrificação de carros de passageiros, caminhões e ônibus. Entregou mais de 100 mil baterias EV para o mercado global e registra mais de 2 bilhões de quilômetros rodados com seus sistemas.

 

Fonte: arandanet.com.br