Eficiência Energética

ACIONISTAS QUEREM CONSELHEIRO NA GAFISA


Acionistas da incorporadora Gafisa vão pedir na próxima assembleia da empresa que a eleição de um novo conselho de administração aconteça por voto múltiplo, apurou o Valor.

Por meio desse mecanismo, previsto na Lei das Sociedades por Ações, um grupo de investidores organizado pode indicar nomes para compor o conselho da companhia. Para isso, é preciso reunir 10% do capital da companhia.

O comitê de nomeação e de governança da Gafisa já indicou uma chapa para compor o novo conselho, que será eleito em assembleia dia 11 de maio.

A chapa mantém seis nomes do conselho atual. Entre os que deixam o órgão está o investidor Guilherme Affonso Ferreira.

Em relatório, os analistas da Bradesco Corretora destacam que a saída de Ferreira do conselho seria negativa para a companhia. Eles avaliam que Ferreira era a pessoa mais perto de ser um “dono” da Gafisa, que possui capital totalmente pulverizado, já que era o único que representava acionistas no conselho. Por meio da Rio Bravo e da Bahema Participações, Ferreira representava cerca de 3% das ações da empresa.

Os analistas também destacam que as razões para ele deixar o conselho são desconhecidas.

O Valor apurou que Ferreira será um dos indicados pelos acionistas que desejam o voto múltiplo para representá-los no conselho. Procurado pela reportagem, ele não atendeu ao pedido de entrevista.

Ferreira, logo depois de chegar ao conselho da Gafisa, ano passado, quis reunir fundos de investimento que possuem ações da empresa para criar um plano estratégico para a incorporadora. A Gafisa está tendo problemas com a Tenda, adquirida em 2008. A empresa fez uma forte revisão de seu orçamento na divulgação do último balanço. A empresa também recusou uma proposta de compra de seus ativos feita pela Equity International (EI) e GP Investimentos. Procurada, a Gafisa não deu entrevista.

Além de Ferreira, sairão do conselho Wilson Amaral e Richard Huber, pela indicação da administração da Gafisa.

A saída de Amaral já era comentada no mercado. O executivo deixou a presidência da empresa em 2011 e passou para o conselho; agora vai desligar-se completamente. Huber é conselheiro de empresas no Chile e no México.

A proposta mantém seis nomes do atual conselho, inclusive o presidente Caio Mattar, executivo do Grupo Pão de Açúcar.

Os três novos nomes indicados são José Guimarães Monforte, da administradora de participações Janos, e que já passou pelos conselhos de várias companhias; Rodolpho Amboss, que foi diretor do Lehman Brothers; e Ricardo Caiuby Ariani, sócio da Tozzini Freire Advogados.

Além de Mattar, continuam no órgão Gerald Reiss, José Écio Pereira da Costa Júnior, Henri Phillippe Reichstul, Letícia Costa e Odair Garcia Senra.

Ano passado, acionistas da Gafisa já tentaram eleger integrantes para o conselho da empresa. A companhia rejeitou o pedido dando como justificativa o fato de a eleição ser para apenas dois membros do conselho, a empresa entendeu que não cabia a solicitação de voto múltiplo, alegando que se trata de ferramenta para ser usada na eleição de todo o conselho.

Para permitir que os acionistas minoritários consigam uma cadeira no conselho pelo voto múltiplo, é preciso fazer uma conta no ato da assembleia, dividindo-se a quantidade de ações presentes no encontro pelo número de vagas no colegiado. Cada ação passa, então, a dar direito a tantos votos quanto forem às cadeiras.


Fonte -Fonte: Valor Econômico / Ana Paula Ragazzi