Geral

Sondagem Industrial Regional aponta estado com tímida atividade industrial


O ano de 2019 tem sido de lenta recuperação para a economia fluminense, com a indústria oscilando ao longo do ano. Os resultados da Sondagem Industrial Regional, elaborada pela Firjan, revelam essa dinâmica. De acordo com a pesquisa, em setembro, todas as regiões apresentaram recuo no volume de produção, na comparação com o mês anterior. Contudo, ao longo do ano algumas regiões têm apresentado melhores resultados.

A região Centro-Norte apresentou resultados superiores à média ao longo do ano. A região Centro-Sul também se destaca positivamente com avanço da capacidade instalada da indústria, em comparação com o mesmo período de 2018. Por sua vez, as regiões Norte e Leste apresentaram os piores resultados do mês.

Segundo Julia Pestana, analista de Estudos Econômicos, ambas foram muito impactadas pela crise dos últimos anos, sobretudo por conta da indústria de Óleo e Gás. “Em 2019, já observamos uma retomada desse mercado, mas os efeitos ainda são pontuais e ainda não se disseminaram em todas as atividades da indústria da transformação”, analisa.

Em termos de avaliação das condições financeiras, as mesmas regiões também se destacam com os piores resultados. As indústrias continuam com margem de lucro insatisfatória e com dificuldade de acesso ao crédito, registrando avaliação inferior à média estadual. Por conta disso, em relação às expectativas para os próximos seis meses, os empresários locais estão entre os mais pessimistas do estado.

Mais confiança

Paralelamente, em relação aos próximos seis meses, os industriais do Centro-Sul seguem entre os mais otimistas do estado, com expectativa de aumento da demanda por bens, compra de matérias-primas e incremento das exportações. “Temos vivido um dia após o outro, mas com esperança de melhora. Existe um movimento favorável acontecendo neste segundo semestre. Já temos reforço de pedidos colocados para novembro e dezembro”, ressalta Gladstone dos Santos, diretor da Nova A3 e presidente do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Rio de Janeiro (Simperj).

As regiões Serrana, Nova Iguaçu e Região e Noroeste acompanham o otimismo do Centro-Sul, com destaque para a expectativa de contratação de empregados.

Otimismo na capital

A sondagem também aponta a lenta recuperação da capital, que segue com dinâmica inferior à média do estado. “Ainda observamos resultados muito tímidos ao longo do ano”, salienta Júlia.

Para realizar novos investimentos, os industriais aguardam a redução da ociosidade no processo produtivo e a recuperação efetiva da situação financeira das empresas. No entanto, os empresários estão confiantes em relação aos próximos meses, na expectativa de estabilidade na contratação de funcionários. “Embora o resultado ainda não seja positivo, ele já sinaliza uma reversão de um histórico de pessimismo”, argumenta Júlia.

 

Fonte: Firjan