noticias

Geral

Petrobrás leiloará balsas e o navio-sonda vitória 10.000 em setembro

O mês de setembro se aproxima com uma movimentada agenda para o setor de óleo e gás. Além de licitações de blocos da Agência Nacional do Petróleo, há outros dois leilões que devem ser sublinhados. São certames que vão negociar balsas, máquinas e a sonda Vitória 10.000 – todas de propriedade da Petrobrás. Em um dos pregões, agendado para o próximo dia 17, a estatal vai oferecer ao mercado equipamentos de tração, guindaste e um grupo de sete balsas. Especificamente falando sobre estas embarcações, uma delas merece atenção especial: a BGL-1, que terá um lance de partida de US$ 5,724 milhões.

A Balsa Guindaste e Lançamentos #1 (BGL-1) da Petrobrás foi desenvolvida para realizar o lançamento de dutos e o içamento de grandes blocos. Além disso, a unidade tem desempenhado, ao longo de sua história, outras operações especiais envolvendo instalações submarinas e offshore. A BGL-1 passou por uma modernização há alguns anos e ganhou algumas novidades estruturais interessantes, que lhe deram maior confiabilidade. O seu stinger, por exemplo, passou a dispor de 52 roletes de plástico especial, desenvolvidos pela empresa brasileira Liderroll.

O stinger é uma estrutura que auxilia no lançamento dos dutos. O tipo especial de plástico usado confere uma maior vida útil aos roletes em relação ao material utilizado até então (aço carbono) para este tipo de equipamento. Com a mudança, o stinger da BGL-1 se tornou um dos mais modernos do mundo.

A balsa tem 144 metros de comprimento total, deslocamento máximo de 17,1 mil toneladas e é capaz de abrigar 280 tripulantes. O sistema de posicionamento dinâmico da embarcação tem seis conjuntos propulsores diesel-hidráulicos independentes e autônomos, o que garante o posicionamento durante o lançamento de dutos ou durante as operações de içamento.

Atualmente, a BGL-1 encontra-se no Estaleiro Inhaúma, no Rio de Janeiro. No mesmo local, estão cinco balsas de serviços (BS-1, BS-2, BS-3, BS-5, BS-6, BS-8), além da Máquina de Tração CPM-250 e da Máquina de Tração CPM-600 – todos também serão oferecidos no certame do dia 17. A licitação também vai negociar a BGL-2, que está no Canteiro de São Roque, em Maragojipe (BA); e o Guindaste Liebherr, armazenado hoje na Refinaria Duque de Caxias (Reduc), na região metropolitana do Rio de Janeiro.

Todos esses ativos encontram disponíveis para visitação pública até 20 dias antes da data do leilão, exceto sábados, domingos e feriados. O pregão (nº 19057) será eletrônico e ocorrerá por meio do Portal Petronect. A solicitação de inclusão de potenciais compradores deve ser feita até às 15h do dia 13 de setembro.

PETROBRÁS TAMBÉM NEGOCIA A SONDA VITÓRIA 10.000

No dia seguinte ao leilão da BGL-1 (18/07), a Petrobrás tentará vender também o navio-sonda Vitória 10.000 (NS-30). O lance de partida pelo ativo deverá ser US$ 47,5 milhões, de acordo com o edital. A embarcação é uma unidade flutuante de perfuração, completação e intervenção em poços de petróleo. O navio tem 227,8 metros de comprimento e capacidade de perfuração de 11,4 mil metros. A sonda é capaz de operar em águas ultraprofundas, em lâmina d’água de até 3.050 metros. A unidade se encontra fundeada no Campo de Badejo, na Bacia de Campos.

Também neste caso, o pregão será eletrônico acontecerá no Petronect às 14h (Leilão Internacional Eletrônico nº 5900.002.2019). A solicitação de inclusão de interessados deve ser feita até às 12h do dia 17 de setembro. O navio-sonda ficará disponível para visitação dos interessados até 5 dias úteis antes da data do certame.