Legislação

MEDIÇÃO E VERIFICAÇÃO: HORA DE INVESTIR NA CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL


Efficiency Valuation Organization (EVO), responsável pelo aperfeiçoamento e disseminação do Protocolo Internacional de Medição e Verificação (IPMVP), traz para o Brasil o curso CMVP (Certified Measurement and Verification Professional). Objetivo é capacitar consultores em M&V.

No processo de amadurecimento do mercado de eficiência energética no Brasil, a Medição e Verificação está se tornando cada vez mais importante para que os projetos tenham maior credibilidade tanto junto ao cliente como junto à comunidade financeira interessada em investir.

Diante desse cenário, a Efficiency Valuation Organization (EVO), órgão sem fins lucrativos que desenvolveu e é responsável pelo aperfeiçoamento e disseminação do Protocolo Internacional de Medição e Verificação (IPMVP, na sigla em inglês), está trazendo para o Brasil o curso CMVP (Certified Measurement and Verification Professional).

Com o objetivo de treinar e certificar profissionais para exercerem consultoria em M&V, o curso será oferecido em duas capitais. Em São Paulo as aulas serão oferecidas de 12 a 14 de maio, enquanto o Rio de Janeiro sediará o treinamento de 9 a 11 de junho.


Iniciadas no início dos anos 1990, as abordagens padronizadas para medição e verificação da eficiência energética foram desenvolvidas para auxiliar os agentes. Atualmente, o IPMVP é o padrão líder em protocolos de M&V em todo o mundo e já foi traduzido para 10 idiomas, inclusive o português, sendo usado em mais de 40 países. O documento é geralmente citado como base para outros protocolos tanto de governo como de empresas de energia.

No Brasil, é exigido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para servir de base para mensuração das economias do programa de eficiência energética das distribuidoras. A www.abradee.com.br/ Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), por outro lado, está desenvolvendo um manual de aplicação prática para as medidas mais comuns aplicadas no Programa de Eficiência Energética (PEE) da Aneel, também se baseando nas diretrizes do PIMVP.


Ministrado em muitos países do mundo, o treinamento ainda é inédito no Brasil, onde está sendo coordenado pela consultora em marketing e relacionamento institucional Maria Cecília Amaral. Segundo ela, o conteúdo não precisou se adequar às condições do mercado brasileiro.

A organização desenvolve oficinas especiais e programas de treinamento feitos para atender às necessidades específicas das várias regiões do mundo. “[O curso] é referência em vários países e muito flexível em sua aplicação, seguindo determinadas regras para a segurança dos resultados. Ele deve ser adaptado não exatamente ao país, mas sim a cada projeto em que será aplicado, de acordo com suas características técnicas”, explicou.

Na avaliação da consultora, em projetos de redução de consumo de insumos energéticos nos países onde o mercado de eficiência energética está mais avançado “o especialista em M&V é parte integrante e indispensável”.

Ela acredita que, “no Brasil, [esse treinamento] será muito importante para que o mercado dê mais um passo no rumo do crescimento sustentável e que obtenha maior credibilidade. No PNEf (Plano Nacional de Eficiência Energética), ele será fundamental na comprovação dos reais resultados obtidos”, garantiu.

No entanto, para que recebam a designação de CMVP, os interessados deverão ter graduação superior em Engenharia ou Arquitetura, ou ainda um comprovante de pelo menos três anos de experiência na área. De outra forma, o profissional com curso superior em outra área deverá ter, pelo menos, cinco anos de experiência.

O mesmo período de experiência é exigido de profissionais de nível técnico. Para agentes não graduados, o rigor aumenta para dez anos de experiência prática.


Recentemente, foi lançada a norma internacional ISO 50001, que irá normatizar a certificação de empresas em Gestão de Energia. Representantes do Brasil e dos Estados Unidos estão à frente do desenvolvimento dessa normatização, o que permitirá às indústrias e empresas gerirem seu consumo energético de forma mais eficiente e profissional.

“Na ISO 50.001, o passo inicial na implantação de um sistema de Gestão de Energia é a criação de uma linha de base da atual situação energética da empresa, criando assim um ponto de partida. Com esses dados iniciais é estabelecido o programa de trabalho e todas as alterações que serão feitas na obtenção do melhor custo-benefício nos resultados, ou seja, maior economia com menor investimento”, explicou Maria Cecília.


A expectativa é que a ISO 50.001 seja publicada entre o final de julho e o início de agosto, propiciando o fortalecimento do mercado de eficiência energética, além de criar a necessidade de novos profissionais. Com isso, a especialização em M&V ganha uma importância ainda maior.

“Sem a correta escolha e sistemática de medição das variáveis, em seu ponto de partida, comparadas aos resultados obtidos durante e após o processo de implantação de alterações, não é possível quantificar, com precisão, os resultados obtidos”, garantiu. “Não se gerencia aquilo que não se mede. Todo esse processo levará à busca, pelo mercado, por especialistas em Medição e Verificação para suprir essa necessidade, tanto nas equipes internas de grandes empresas como fornecedores de serviços de consultoria”.


Para se inscrever, os interessados deverão investir US$ 1.750,00, o que cobre o material que será utilizado, o coffee break, os almoços e a taxa do exame de CMVP.

Assinantes da EVO terão US$ 100 de desconto.

O formulário de inscrição para o treinamento pode ser obtido na página da EVO, no endereço:

www.evo-world.org/training_brazil.

Para mais informações sobre o curso, entre em contato pelo e-mail:

mcamaral@expertsmkt.com.br.

Telefone: (11) 3743-9666.


Fonte -Fonte: Procel Info – Diego Luis