noticias

Eficiência Energética

Empresa paulista criou solução que reduz o impacto ambiental na produção da energia

Uma economia cada vez mais verde e circular é essencial para que as empresas, independente do seu porte, consigam fazer a esperada transição para modelos de negócio ambientalmente mais eficientes. A Silcon, empresa de engenharia ambiental com unidades em Mauá, Juquiá, Paulínia e Pirapora do Bom Jesus, todas no Estado de São Paulo, surgiu justamente da preocupação em oferecer soluções que diminuam o impacto da atividade produtiva no meio ambiente.

Segundo o diretor comercial Giancarlo Esposito, a empresa iniciou suas atividades em 1994, na cidade de Paulínia.“Nosso modelo de negócios teve início com a compra de um incinerador, de tecnologia suíça, a fim de realizar o tratamento de resíduos gerados por hospitais e estabelecimentos de serviços de saúde”, diz. Desde então, com os avanços da legislação ambiental no país, Esposito conta que a empresa nunca mais parou de pesquisar e desenvolver tecnologias para o tratamento dos mais diversos tipos de resíduos perigosos industriais e hospitalares.

A mais nova iniciativa da Silcon é a criação de uma solução inovadora que atenderá a Política Nacional de Resíduos Sólidos, transformando resíduos gerados pelas empresas em energia, seguindo os princípios da reutilização e reciclagem. “Trata-se da implantação de uma Unidade de Produção Alternativa de Combustível (Upac) que, através de um processo de dissociação térmica, chamada pirólise, transformará resíduos sólidos em óleo, carvão e gás, sem a geração de rejeitos para disposição em aterros”, explica Esposito. A expectativa é que a tecnologia, instalada na unidade da Silcon de Pirapora do Bom Jesus, comece a funcionar a partir de setembro deste ano.

“Esta iniciativa, totalmente inovadora no Brasil, só foi possível com o apoio da Desenvolve SP que, após uma criteriosa análise do projeto, aprovou nosso pedido de financiamento. Com os recursos obtidos, estamos colocando no mercado uma nova tecnologia que contribuirá para o aprimoramento das boas práticas ambientais no Estado de São Paulo”, diz Esposito. A inovação ainda gera outros benefícios: os insumos gerados na Upac substituirão combustíveis fósseis derivados do petróleo, altamente poluentes para o meio ambiente.

Para Alvaro Sedlacek, presidente da Desenvolve SP, a agência de desenvolvimento paulista que financia  pequenas e médias empresas, soluções como as oferecidas pela Silcon são cada vez mais desejadas no mercado. “A preocupação com o meio ambiente já não é apenas um diferencial, mas uma exigência para os que desejam se manter competitivos. Para atender as legislações ambientais, por exemplo, as empresas precisam se adaptar, seja investindo em soluções próprias ou em soluções oferecidas por terceiros, para que possam diminuir o seu impacto produtivo no meio ambiente”, diz.