noticias

Geral

Mulheres conquistam espaço na indústria fluminense

Um em cada quatro postos de trabalho na indústria fluminense é ocupado por uma mulher. São mais de 164 mil trabalhadoras presentes em todos os setores industriais no estado do Rio. A presença feminina vem aumentando ao longo dos anos, com expansão superior a 18% entre 2007 e 2016, de acordo com os dados da RAIS.

Apesar de os números serem positivos, o setor industrial é predominantemente masculino. No entanto, Carla Pinheiro, fundadora da Art’Lev Design, acredita que o equilíbrio entre os gêneros é indispensável, e comprova isso em seu dia a dia.

“Em geral, as mulheres são menos competitivas e mais conciliadoras, talvez em função da maternidade. Já os homens tendem a uma postura mais agressiva, o que não é ruim, já que em muitas situações é necessário um pulso mais firme”, pondera. Ela destaca ainda que mantendo o equilíbrio na empresa, é possível perceber um ambiente mais ético, profissional, respeitoso e focado no trabalho.

Qualificação

As mulheres também ganharam mais espaço em ocupações de nível técnico e educação superior, chegando a marca de 32 mil trabalhadoras somente nestes postos na indústria fluminense. “As mulheres também estão buscando por mais qualificação. Atualmente, elas representam 60% dos formandos em cursos de nível superior”, esclarece Adriana Carvalho, gerente de Princípios de Empoderamento da ONU Mulheres no Brasil.

Adriana reforça ainda que as empresas com maior diversidade de gênero em seu quadro de colaboradores possuem melhor eficiência de mercado. Atuando fortemente nesse sentido, ela destaca que a ONU assinou o Pacto Global dos Princípios de Empoderamento das Mulheres, um conjunto de considerações que ajudam as empresas a incorporar em seus negócios valores e práticas que visem à equidade de gênero.

Conheça os Princípios de Empoderamento das Mulheres, defendido pela ONU:

1. Estabelecer liderança corporativa sensível à igualdade de gênero, no mais alto nível.

2. Tratar mulheres e homens de forma justa no trabalho, respeitando e apoiando os direitos humanos e a não-discriminação.

3. Garantir a saúde, segurança e bem-estar de mulheres e homens que trabalhem na empresa.

4. Promover educação, capacitação e desenvolvimento profissional para as mulheres.

5. Apoiar o empreendedorismo das mulheres e promover políticas de empoderamento.

6. Promover a igualdade de gênero através de iniciativas voltadas à comunidade e ao ativismo social.

7. Medir, documentar e publicar os progressos da empresa na promoção da igualdade de gênero.