noticias

Energia elétrica

Chuva abaixo da média em janeiro não ameaça oferta de energia

As chuvas de janeiro ficaram abaixo da média histórica na maior parte do País, situação que prejudica o enchimento de grandes reservatórios das regiões Sudeste e Nordeste, onde estão localizadas as represas em situação mais preocupante.

O cenário hidrológico, porém, não deverá ameaçar a oferta de energia elétrica neste ano, segundo informações divulgadas pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), que reúne a cúpula do setor elétrico.

Segundo boletim divulgado pelo comitê, o risco de haver falta de energia em 2018 é igual a 0,3% para as regiões Sudeste e Centro-Oeste e de 0,1% para o Nordeste, considerando os cenários já desenhados em fevereiro.

Os dados do Operador Nacional do Setor Elétrico (ONS) mostraram que a incidência de chuva só não ficou abaixo da média histórica na Região Sul do País e em trechos do Rio Madeira, na região amazônica, onde as precipitações superaram ligeiramente a média histórica.

Os dados apontam incidência de 96% da média histórica em janeiro para o Sudeste/Centro-Oeste, 36% no Nordeste e 62% no Norte. No Sul, chegou a 191% da média.

A previsão para o trimestre de fevereiro a abril de 2018 aponta maior probabilidade de chover abaixo da média histórica em parte do Nordeste e alta probabilidade de chover acima do normal na maior parte da Região Norte. Na Região Sul, as precipitações deverão oscilar em torno do normal.

Sobre a expansão da geração de energia, o comitê informou que, em janeiro, entraram em operação comercial 251,7 MW de capacidade adicional de geração.