noticias

Eficiência Energética

DEPOIS DE ANO RUIM, CONSTRUÇÃO CIVIL DEVE SER IMPACTADA COM ALTA DE JUROS

Depois de um ano ruim, a construção civil inicia 2015 com a expectativa de melhora frustrada. O começo de recuperação, como era esperado pelo setor, deverá ser adiado em razão da elevação das taxas de juros para financiamento habitacional da Caixa Econômica Federal, banco que detém a maior parcela desse tipo de crédito. De acordo com o economista Sérgio Bastos, a alta dos juros deve inibir o ritmo dos novos contratos e, por decorrência, reduzir o volume dos lançamentos.

O ano passado foi marcado por desaquecimento do setor da construção civil, com déficits recordes no mercado de trabalho. A projeção inicial era que, em 2015, iniciasse a recuperação. No entanto, as taxas de juros de contratos habitacionais firmados desde a última segunda-feira (19) na Caixa Econômica Federal estão mais altos, situação que tende a impactar sobre o ritmo do mercado imobiliário e esfriar o crescimento esperado para a construção civil.

De acordo com a Caixa Econômica Federal, os juros para financiamento de imóveis com valor até R$ 750 mil subiram de 8,75% para 9% (clientes do banco), de 8,25% para 8,7% (clientes e que recebem salário pelo banco), de 8,6% para 8,7% (servidores públicos), de 8% para 8,5% (servidores públicos, com conta e que recebem salário pela Caixa). Só terão alterações as taxas de operações com recursos da poupança (SBPE). As taxas dos financiamentos pelo Programa Minha Casa Minha Vida e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) não serão elevadas.


Fonte -Fonte: Correio do Estado