noticias

Eficiência Energética

CONSELHO DO FGTS ELEVA VALOR DE IMÓVEL NO MCMV 3 PARA ATÉ R$ 225 MIL

O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aprovou a elevação dos valores limites dos imóveis enquadrados na terceira etapa do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) nas faixas 2 e 3. A atualização era bastante aguardada por empresários do setor, pois a última correção nos tetos ocorreu em 2012. Além disso, o conselho aprovou ainda um ajuste no valor máximo do subsídio.

De acordo com informações do Ministério das Cidades, nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, o teto subiu de R$ 190 mil para R$ 225 mil. Nas grandes cidades das regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, o valor máximo passou a ser de R$ 180 mil, enquanto nas regiões metropolitanas da Região Sul, e dos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo, passou para R$ 200 mil. Já para os municípios abaixo de 20 mil habitantes, o teto foi a R$ 90 mil.

O limite de subsídio concedido para as faixas 2 e 3 foi elevado de R$ 25 mil para R$ 27,5 mil.

O Conselho também aprovou os valores limites para imóveis que podem ser enquadrados na faixa 1,5, que é uma novidade na terceira etapa. Nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, o preço do imóvel será de até R$ 135 mil. Para as cidades da Região Sul, Espírito Santo e Minas Gerais esse valor está fixado em R$ 125 mil. Na Região Centro-Oeste (com exceção do Distrito Federal), Norte e Nordeste, o teto será de R$ 120 mil. Nessa modalidade, o subsídio máximo será de R$ 45 mil e a taxa de juros de 5% ao ano.

Em setembro, o Governo apresentou propostas para a terceira fase do Minha Casa Minha Vida. As principais mudanças foram a criação da faixa 1,5, para famílias com renda mensal entre R$ 1.800 e R$ 2.350, e a ampliação do limite de renda das faixas 2 e 3 para R$ 3.600 e R$ 6.500, respectivamente. Também foi proposta a elevação das taxas de juros do financiamento imobiliário nas faixas 2 e 3.


Fonte -Fonte: Construção Mercado